Diário dos primeiros dias com Chikungunya

 

Oi gente, tudo bem?

Hoje venho com uma postagem diferente, achei importante compartilhar com vocês.

Eu estou me recuperando graças a Deus, passei uns dias bem ruim por conta da febre Chikungunya. Pra quem não sabe, o Estado do Ceará vem enfrentando um surto de Chikungunya, uma doença terrível transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que tem como principais sintomas febre alta, dor  e inchaço nas articulações.

Já passei por vários problemas de saúde, mas nunca pensei que fosse passar por algo tão ruim.

Tudo começou no sábado 06 de maio, senti minhas pernas doloridas e quando  pisava meus pés também começaram a doer, mas nada muito forte. Fui dormir, como tudo piora durante a madrugada, dito e feito, às 3h acordei com muito frio e dor no corpo todo, não conseguia nem mexer minhas mãos. Assim de repente estava imóvel com dor nas mãos, pés, joelhos, coluna e uma dor de cabeça insuportável, meu pensamento logo me alertou, “é chikungunya”,  chamei meu esposo e ele trouxe um analgésico, consegui dormir novamente.

Domingo 07/05

Pela manhã febre muito alta, dores nas juntas principalmente nos joelhos, não consegui me alimentar, na parte da tarde fui ao hospital, tomei medicação e soro, como era o primeiro dia não dava para fazer o exame (somente uma semana depois do início da doença). Mas a médica recomendou repouso total, tomar muito líquido e remédio para febre e dor a cada 6 horas.

Segunda-feira 08/05

Ainda com febre alta, dor de cabeça e com muita dificuldade de levantar da cama, para descer sozinha tive que rastejar até a ponta da cama sem colocar força nas mãos, pois dói muito, estou com rosto vermelho e inchado, meu corpo todo está muito sensível. Ficar muito tempo deitada é horrível, ficar em pé mais de 10 minutos e andar é uma tortura.

Terça-feira 09/05

A febre diminuiu um pouco, dormi com dificuldade por não encontrar uma posição confortável, mas consegui andar e descer as escadas do quarto, também consegui comer melhor. No final do dia notei meus pés inchados.

Quarta-feira 10/05

Ontem estava até me sentindo bem, mas hoje foi prova de fogo. Dormi com dificuldade novamente, e pela manhã quando fui tentar descer da cama, senti a pior dor da vida, gritei e chorei…ao colocar meus pés no chão parecia que estava pisando em uma fogueira, senti como se fosse uma descarga elétrica muito forte subindo nas minhas pernas, foi uma fração de segundos que me deixou apavorada e com medo de não andar mais. Não tive coragem de tentar andar logo, estava sozinha, meu filho na escola e meu esposo no trabalho. Liguei para meu esposo e ele veio em casa me ajudar, aos poucos fui colocando os pés no chão com muita dor e  dificuldade consegui andar, e fui tomar banho, pois parecia que estava queimando e queria esfriar meu corpo.

Passei o dia deitada com pernas para cima, que estavam cada vez mais inchados, e vermelhas.

Quinta-feira 11/05

Mais uma noite ruim, porém deu pra dormir. Pela manhã minhas pernas até altura dos joelhos estavam tomadas de manchas vermelhas e muito, muito inchadas, e intocáveis. Desde o primeiro dia comei a passar óleo de bebê  nas pernas para aliviar a ressecamento, e hoje passei bastante óleo, pois o negócio aqui está feio, estou com medo dos meus pés papocarem de tanto edema.

Sexta-feira 12/05

Hoje não me senti nada bem, muito calor e quentura no corpo todo, mesmo com ar condicionado ligado tenho que tomar vários banhos, e molhar as pernas que estão ainda mais inchadas (se é que é possível). Até a água que encosta nas minhas pernas dói. Hoje senti fortes dores nas costas, e no quadril, e nos joelhos. Levantei apenas para tomar banho e comer, pois não consigo andar muito.

Sábado 13/05

Meu Deus…essa foi pior noite da minha vida. De sexta pra sábado eu não dormi nadinha, comecei a sentir meu corpo como se pegasse fogo, e vários pinicões, como se estivesse levando agulhadas pelo meu corpo todo, só escapou meu rosto, ( antes de dormir já tinha tomado um anti-histamínico). Assim que o dia raiou fui tomar banho, passei óleo pra poder tocar na minha pele, tomei  outro antialérgico e não melhorei. Minhas pernas um peso, e uma coceira com quentura tudo misturado, deu vontade de sair correndo mas não consigo nem andar…sem falar no mal estar geral, uma agonia na cabeça.

Meu esposo me levou novamente ao hospital, tomei mais medicação e uma injeção para alergia, meu sonho era dormir ali enquanto tomava medicação, mas não consegui. Senti um certo alivio, mas não passou 100%.

Domingo 14/05

Consegui dormir melhor de sábado para domingo. Mas hoje já apareceu um outro sintoma, minhas mãos agora estão inchadas e tenho dificuldade para mexer meus dedos, principalmente a mão esquerda, dói do cotovelo até a ponta dos dedos. Não consigo nem apertar o controle remeto da TV. Mas graças a Deus, melhorei das coceiras e quentura do corpo, percebi uma melhora nos edemas das pernas.  A tarde já consegui descer as escadas sem muita dificuldade, só que não vou me danar muito, tenho medo de recaída. Ainda com dores nas mãos, é  muito ruim para deitar e encontrar uma posição sem mexer com braços.

Segunda-feira 15/05

Hoje me sinto melhor, graças a Deus. Nunca pedi tanto a Deus por minha saúde. Fui passar o dia na casa da minha mãe, fiquei lá quietinha. A noite me senti mal, com dor de cabeça forte e náuseas, demorei a dormir, mas consegui.

Entre 16 e 20/05

Esses dias tive uma melhora, fui ao laboratório para fazer exames de sangue e a sorologia, mas  esse segundo fica pronto com uma semana. Já volte a me alimentar, e voltei 70% da minha rotina.  Estou retomando aos poucos, pois quando me esforço muito me sinto mal, bate uma fraqueza terrível. Minhas pernas estão quase fininhas de novo rsrsrs. O inchaço diminuiu significativamente.

Bem gente, fica aqui meu registro, narrei apenas uma pouco dos meus piores dias, e acreditem, quanto mais de idade pior é a recuperação. Minha sogra (70 anos),  teve essa doença em março, e vive tendo recaída.

Os sintomas são febre alta, dores nas articulações e inchaços, mas dependendo da imunidade da pessoa pode ser ainda mais grave ou não. Aqui em Fortaleza vejo que os idosos são os mais prejudicados, por conta da idade avançada e a tendência para artrite e artrose por isso o quadro complica.

Consegui passar por isso com ajuda do meu esposo e filho, que a noite se revezavam em passar óleo, fazer massagem, trazer água… e minha mãe que mandava comida, sopinha.

Estou confiante que não terei recaída, pois tenho Fé em Deus.

Que Deus proteja vocês!!!

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s